terça-feira, 22 de março de 2016

A sua forma particular de reagir e sentir.

Nem tudo é exatamente do jeito que enxergamos.
A opinião muda pra cada indivíduo, baseado nas suas crenças e experiências. 

Portanto, não há o certo e o errado, 
existem os diferentes pontos de vista. 

É claro que estou falando sobre opiniões a assuntos aleatórios, não está relacionado à moral ou princípios de cada um.

Falo sobre observar a forma como o ser humano encara a mesma situação de maneiras tão opostas.

Como você enxerga através da óptica dos seus valores e vivências, é completamente diferente daquele que está ao seu lado.

"o que o ser humano tem de comum, é que somos todos diferentes."

Esse é o equilíbrio! 
Não somos programados.
Temos consciência,
mente,
o Eu superior, que alguns chamam de espírito, 
e um corpo.

Repletos de emoções e sensações despertadas e transformadas ao longo dessa jornada chamada vida.

E eu, particularmente, acho bem gostoso pensar e sentir diferente do outro, inclusive de si mesmo, de tempos em tempos, se permitindo a renovação e ressignificação do olhar e ver sobre o mundo...



terça-feira, 15 de março de 2016

Quando você perde a batalha.

Você tenta, mas não é o suficiente.

Alguém, um dia, disse que só existimos na presença do outro.

De fato, vivemos para interagir em sociedade e isso às vezes é delicado.
Corresponder às exigências e expectativas das pessoas está cada vez mais difícil. 
Isso porque, todos temos nossas deficiências. Mas acabamos exigindo demais dos outros. 
Logo, nunca é suficiente. 

A máxima da vida está se perdendo, que creio ser o amor. 

A base da sobrevivência, que é a compaixão, se perdeu quando começamos a lutar bravamente pela individualidade.

Um dia essa batalha cansa. 

Um dia, inevitavelmente você se entrega e aceita que de fato, estamos cada vez mais desestimulados a contribuir por mais harmonia. 

E é nesse momento que cada um, pouco a pouco entra para as estatísticas de pessoas solitárias, infelizes e insatisfeitas. E então, você aceita as "migalhas emocionais" que alguém pode te proporcionar. Por medo da solidão ou por conformismo. 

Aceitamos o "pouco" que a vida pode dar, pode parecer uma visão negativista, mas nesta geração, o 'legal" é ser independente o máximo possível..

Dura realidade, mas aceitar dói menos. 


                                    

terça-feira, 1 de março de 2016

O preço do medo

Quase tarde demais eu percebi que o medo me custou caro, sem retorno. 

Se ferir por preocupação antes que alguém (ou alguma situação) o fizesse, é pura tolice. 

E somente depois de chegar à exaustão do sofrimento, próprio e alheio, aceitei
que ser corajoso mesmo é aquele que se entrega sem expectativas. 
Quem ama sem cobranças, que vive sem o pé atras, que deixa fluir seu tempo se preparando para enfrentar uma tempestade real e não o desperdiça remoendo batalhas desnecessárias. 

A prática é diária e dolorosa. 

Alguns dias são cobertos por uma nuvem macia e uma luz dourada e morna.
Outros dias são como todas as tempestades naturais juntas: seu peito em brasa, 
uma chuva torrencial sobre sua cabeça, seu corpo rodando num redemoinho de poeira.


Mas tudo vale a pena, quando a alma não é pequena.