terça-feira, 15 de março de 2016

Quando você perde a batalha.

Você tenta, mas não é o suficiente.

Alguém, um dia, disse que só existimos na presença do outro.

De fato, vivemos para interagir em sociedade e isso às vezes é delicado.
Corresponder às exigências e expectativas das pessoas está cada vez mais difícil. 
Isso porque, todos temos nossas deficiências. Mas acabamos exigindo demais dos outros. 
Logo, nunca é suficiente. 

A máxima da vida está se perdendo, que creio ser o amor. 

A base da sobrevivência, que é a compaixão, se perdeu quando começamos a lutar bravamente pela individualidade.

Um dia essa batalha cansa. 

Um dia, inevitavelmente você se entrega e aceita que de fato, estamos cada vez mais desestimulados a contribuir por mais harmonia. 

E é nesse momento que cada um, pouco a pouco entra para as estatísticas de pessoas solitárias, infelizes e insatisfeitas. E então, você aceita as "migalhas emocionais" que alguém pode te proporcionar. Por medo da solidão ou por conformismo. 

Aceitamos o "pouco" que a vida pode dar, pode parecer uma visão negativista, mas nesta geração, o 'legal" é ser independente o máximo possível..

Dura realidade, mas aceitar dói menos. 


                                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário