quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Busca

Determina-se os dias pela duração da luz do sol e da noite.
Ao fim de cada período, sob um novo amanhecer, surge um novo dia.
E o que os seres fazem, é buscar novamente.

Buscar felicidade e retribuição nas atitudes diárias,
reconhecimento no trabalho massante e rotineiro.
Buscar acolhimento num abraço ou nas palavras de um amigo,
o conforto para a alma através da família.

Mas no íntimo, todos buscam algo que realmente não conhecem o que é.
O tempo avançando desenfreado, a sede pela busca aumenta.

O prazer gratuito diminui, os estímulos precisam ser cada mais vez mais intensos.
Não se sabe o significado de felicidade, de plenitude, não se conhece o que é que falta para conquistá-los.

Para os que definem claramente um objetivo, a satisfação se torna real.
No entanto, o desejo volta. Mais forte e mais intenso de "quero mais". Mais e melhor.
E a ansiedade não cessa.

O que é, afinal, essa busca apressada?
É a criança interior pedindo atenção?
É o adulto exausto de cobrança suplicando por descanso e prazer sincero?
A mente confusa pela falta de valores e princípios?
A alma amargurada pela frieza e rigidez dos tempos?
Giramos em círculos, por um labirinto dentro de nós.

"Conhece-te a ti mesmo".
E dói reconhecer quem somos na intimidade. Queremos parecer perfeitos.
Mas somos um amontoado de tecidos, ossos, sangue e emoções.

No final das contas, mergulhar em si, pode ser a resposta para todas ou para a maioria de nossas dúvidas...


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

O que você está esperando?

A verdade é que a motivação surge quando estamos seguros.
Difícil é sentir-se motivado durante a 
crise.
Os dias então passam, repletos de esperanças que se tornam semanas, meses, anos de expectativa por um milagre. 
O milagre da satisfação e da completude.
Já acordei com pânico da morte.
E realizei que o mundo não pára por nós. 
Que o tempo urge igual para todos, estando preparados ou não.
O que será quando não estiver mais aqui? Seus sonhos e desejos partirão contigo.
Amarras, inseguranças, preocupações alimentadas em vão. 
A vida dura o suficiente. 
Só é curta para os excessivamente desapegados e longa demais para quem vive em meio ao cinza e monótono.

             

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

"O mundo no automático"

É uma corrida insana por prazos, exigências, para se adaptar a padrões, obter excelência, cobranças. Mais obrigações e deveres do que direitos. 
Essa é chaga dos tempos atuais. 
Cumprir demandas que a vida nos impõe  (e com perfeição ainda por cima!) de todos os lados. É estética, alimentação saudável, amigos, família nos exigindo, até nos momentos de prazer nos deparamos com decepções pois nunca nada está bom o suficiente.
Me pergunto aonde isso tudo vai dar. 
Há alguns anos ouvia que depressão era doença de rico, de gente desocupada. Hoje vejo grandes executivos, mães de família, trabalhadores e dondocas sofrendo por ansiedade e gastando dinheiro com remédios e terapias. 
Falta tempo pro amor, pro carinho, falta disposição pra curtir um dia no parque, falta grana pra planejar uma viagem, sobram insatisfações com amigos que não nos dão atenção (porque eles já têm problemas demais e não têm disposição pra ouvir nossos lamentos), já estamos nos acostumando a conviver com inúmeras famílias desestruturadas, relações vazias e descartáveis.
Estamos nos individualizando cada vez mais, fechados numa bolha de proteção contra o mal julgamento, críticas e sofrimento. 
Sinto saudade de ver as brincadeiras em grupos, de pais ajudando filhos a fazer a lição de casa, de famílias que educavam de verdade, com todas as dificuldades que haviam, mas educavam. 
Hoje a vida se resume em internet e um mundo paralelo cheio de ansiedade e insegurança. 
Ainda tenho esperança de voltar a ver, mesmo quando estiver do outro lado, as pessoas trocando amor e compaixão. Desejando "paz, amor, harmonia, prosperidade" nos cartões de natal,porque  atualmente, só recados virtuais mesmo e "tá bom". 
                       

domingo, 6 de setembro de 2015

Início

"Como começar?" Um dia, uma pessoa muito sábia me disse que não precisamos ter tudo perfeito para dar início ao que temos vontade ou devemos cumprir. Costumo esperar pela melhor hora, quando todos os detalhes estão organizados, como se eu realmente fosse tão metódica assim. 
E então eu aceitei que o correto mesmo é começar seja lá por qual parte for, porque a vida simplesmente não te espera. 
O tempo passa cada vez mais rápido e preocupantemente, muita gente esqueceu de lutar pela principal razão de existir: ser feliz.